quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Poema # 12 - A Busca e o Infinito

Se Sou aquele que busca,
Sou também quem sente
Que a busca é circular,
Descobrindo-a infinita,

Nunca paramos de buscar,
Jamais encontramos o suficiente,
Ou porque está fora do espaço
Ou porque esta fora do tempo
E longe do alcance da gente.

E somos insuficientes, 
Até para nós próprios.
Então precisamos buscar
Incessantemente num outro,
O Complemento direto
Do verbo Amar.

Autoria de Filipe De Freitas Leal


Este artigo respeita as normas do novo Acordo Ortográfico.
contador de visitas Pessoas visitaram esta página

Sobre o Autor

 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estudante de Serviço Social no  Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas - ISCSP, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do humanismo, edita outros blogs, cujo teor vai da filosofia à teologia, passando pelo apoio ao estudo autodidático. (ver o Perfil  

Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário

Twitter Facebook blogger E-mail Print Friendly Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | GreenGeeks Review