terça-feira, 22 de julho de 2014

Poema # 28 - Nossa Casa, Nosso Espelho

A nossa casa é o espelho do nosso sentir,
O reflexo do nosso modo de ver,
A aura da nossa alma,
E se não nos revimos nela,
Tornam-se opressoras as suas paredes,
Gritos ensurdecedores os seus silêncios,
E nossos passos cansados arrastam-se.

Se a nossa casa for antes de tudo,
O mais belo espelho reluzente do nosso ser,
Até os livros fechados falam de nós,
Os papeis desalinhados que nos esperam,
A chávena de chá, em cima da mesa,
A luz que entra pela janela entre cortada
Pelas persianas, falam de outra luz.

A Luz que nos vai cá dentro,
E cada canto, cada pedacinho somos nós,
quase mudos, são nossa plateia,
Nos conhecem tanto ou melhor que nós.
...

Somos, não o que os outros vêm
Mas fundamentalmente o que nós vimos
Sentimos e tocamos, no perpétuo movimento
De aprender a ser.




Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário

Twitter Facebook blogger E-mail Print Friendly Favorites More

 
Projeto gráfico pela Free WordPress Themes | Tema desenvolvido por 'Lasantha' - 'Premium Blogger Themes' | GreenGeeks Review