10 ANOS

Desde julho de 2007 a debater ideias e a defender causas.

Raif Badawi o Direito de Ser Blogger

Somos todos Raif Badawi, se acreditamos que a liberdade de expessão é um direito inalienável da Pessoa Humana, então todos somos Raif Badawi.

O Humanismo

O Humanismo mais que uma ideologia é uma praxis ao alcance de cada um de nós, somos chamados a fazer o que estiver ao nosso alcance e de acordo com as nossas possibilidades em prol do bem comum.

A Terceira Idade e a Cultura Intergeracional

A revolução grisalha, e a cultura de uma sociedade intergeracional, juntanto-se a todo o conjunto de uma cultura de inclusão, a força da juventude e a sabedoria da idade produzem um mundo novo.

Solidariedade Social

A solidariedade social, mais que comunhão de esforços em prol de causas é o dar-se em prol dos nossos semelhante, é um dos temas centrais deste blog,.

Trabalhos Académicos, do Serviço Social e Sociologia à Ciência Política

Desde 2010 que o Etcetera, disponibiliza para consulta, um conjunto de estudos académicos de várias áreas da ciência, como sociologia, psicologia, ciência política, economia social entre outras.

Sugestões de Leitura - Lista de Livros

Lista de Livros, sugestão dos mais importantes da Literatura Universal e Humanista, o mais importante é ler bons livros e não sermos guiados pelos livros da moda.

domingo, 30 de agosto de 2015

Fugir da Guerra Para Morrer no Coração da Europa.

Fugir à guerra da Síria e encontrar a morte na Europa, é de todo o que menos se espera quando se está cheio de esperança, quando se acredita que se seja acolhido dentro dos valores da Liberdade, Igualdade e da Fraternidade, valores esses que surgiram da Revolução Francesa, que é o maior legado deixado pela Europa ao mundo.

Algo vai mal, não é apenas a guerra, não são apenas as crises económicas, sociais, nem apenas a fome no mundo, mas sim já passou a ser uma questão moral e de valores, algo vai mal nos valores civilizacionais, ou seria melhor dizer, que o que se passa é que algo vai mal, porque faltam esses valores.

Acima de tudo, algo vai mal, quando refugiados da guerra e vitimas de uma crise humanitária, são denominados de imigrantes, pior, é que o acesso a um campo de refugiados, se faça a atravessar fronteiras como se estivessem a cometer um crime.

Soma-se a tudo isto, a descoordenação dos políticos europeus, a ganancia de criminosos que recebem dinheiro para fazer chegar à Europa pessoas que viajam sem as mínimas condições, de tal modo que na Áustria foi encontrado um camião abandonado, tendo sido encontrado no seu interior cinquenta pessoas mortas por asfixia, vitimas do tráfico humano, alguns poderão ter pago mais de 3.000 dólares para acabarem por morrer às portas da liberdade e da Paz.


Mas o erro não está no outro lado do mundo, onde há guerra e fome, o erro está no centro da Europa, num continente cada vez mais entrincheirado, o qual os refugiados pensam que mesmo não havendo fartura, haja ao menos solidariedade, solidariedade essa que subjaz no cristianismo e nos valores da democracia, e há de facto muita gente solidária, mas não há solidariedade suficiente do ponto de vista político, sobretudo que 70 anos após a II Guerra Mundial, os Direitos Humanos estejam a ser violados de forma brutal como os arames farpados na Hungria para impedir a entrada dos refugiados.

O que é preciso fazer quanto aos refugiados, é proporcionar-lhe a dignidade com o acolhimento, dando-lhes condições de ao menos chegarem vivos a um campo de refugiados onde haja, abrigo, agasalhos, alimentação e todo o tipo possível de apoio médico e psicológico.

Quanto aos imigrantes ilegais que vem para à Grécia ou a Itália, vindos de África e da Ásia, o importante é saber o que se pode fazer para que as pessoas possam ficar livres e felizes dentro dos seus países  trata-se de cooperação com vista ao Desenvolvimento Comunitário, a que os povos têm direito e a que os Estados devem tentar chegar a um consenso.

Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

Citações # 28 - O Amor Jamais Morre















Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

Citações # 27 - Pensar é difícil















Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Os Dez Medos Fundamentais da Pessoa Humana

Quando tenho um sonho e acordo, normalmente esqueço. No entanto, quando consigo lembrar-me do que sonhei procuro interpretar o significado simbólico desse sonho.

Nesse sentido, há alguns dias atrás tive um sonho bastante confuso, como aliás são os sonhos em geral, passam como diapositivos de uma cena a outra, que aparentemente não têm qualquer sentido, mas na realidade dizem-nos algo.

Este ultimo revelava os 10 medos ou receios fundamentais da pessoa humana, que são os seguintes:

01.º - Medo de entrar em contradição;
02.º - Medo de ser testado;
03.º - Medo de ser explorado;
04.º - Medo da Insegurança;
05.º - Medo da humilhação e do preconceito;
06.º - Medo de não ser amado;
07.º - Medo do isolamento;
08.º - Medo de errar;
09.º - Medo da injustiça;
10.º - Medo de  incerteza ou da mudança.

Há que ter em conta que estes medos, poderiam estar numa ordem diferente, ou incluir outros, caso sejam analisados de outra forma ou por outra pessoa, poderíamos por exemplo colocar de acordo com a ordem da Pirâmide das Necessidades de Maslov.

Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

domingo, 23 de agosto de 2015

ZonaEuro - Portugal Cresce Menos que a Grécia

O crescimento da economia para Portugal no segundo trimestre de 2015 é de 0,04 % superior em 0,01% que a média da Zona-Euro, mas esse crescimento já sem a Troika e sem um novo resgate, é ainda assim, inferior ao crescimento da economia da Grécia, que chegou aos 0,08%, mesmo com o governo do Syriza e da instabilidade que se instalou em Atenas culminando num novo resgate.

Há que ter cuidado com os discursos políticos em época de campanha eleitoral, para as legislativas que se realizam em Portugal, não se deixem enganar com discursos falsos de crescimento económico, pois os dados falam por si, visto que o que tem ajudado ao tímido crescimento da economia portuguesa, é tão somente a recuperação económica do maior cliente de Portugal, a Espanha, que atingiu 1% e está 0.07% acima da média europeia.

Quanto ao desemprego, a maquilhagem é sempre a mesma, obrigar os desempregados a fazer cursos de formação, deixam de ser desempregados e passam a ser alunos.

Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

O Brasil Numa Encruzilhada Política

O Brasil está num dilema. Tal como está. não pode ficar, pelo que precisa urgentemente de mudar o seu sistema político para evitar entrar em encruzilhadas perigosas.
Exigir na rua que Dilma saia do poder é legitimo, mas não é vinculativo, o que é vinculativo é o voto.
Não pode haver um impeachment, sem acusação formal por parte de um tribunal, apoiado em indícios de crimes graves que por ventura tenham ocorrido durante o exercício das funções da Presidente; caso contrário o que cai por terra é a credibilidade da política brasileira a nível internacional, com o agravamento da situação económica. que já se esta a fazer sentir.
Se querem destituir o governo, tem de criar um sistema parlamentarista, mas para haver estabilidade política têm de haver a bipolarização de duas forças que garantam a alternância democrática do poder politico, tal como ocorre na maioria dos países desenvolvidos.
Normalmente graves crises politicas, geram graves crises económicas, e é o que se passa no Brasil hoje, o gigante está doente e precisa ser cuidado.
O Brasil precisa de uma reforma do seu sistema politico e partidário.

Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Voluntários - Esta Imagem Vale por Mil Palavras

Já dizia Confúcio com o sua celebre citação, que "uma imagem diz-nos mais que mil palavras", esta imagem é reveladora do que é ser VOLUNTÁRIO e dar a vida em prol do Bem Comum.

Esperamos muito deles, mas quantas vezes falhamos em dar-lhes o devido valor? Na época quente de verão, em plena seca, os incêndios ou fogos florestais multiplicam-se, levando mais que hectares de floresta, leva por vezes os bens de quem já pouco tem, e a vida de pessoas e a destruição da fauna e flora.

Autor Filipe de Freitas Leal

contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

Encerrados os GIP's nas Escolas

A decisão não deixa de ser controversa, na medida em que os funcionários, que são na maioria autónomos (os chamados recibos verdes) infelizmente não só não sabem do seu futuro, com poderão ter de enfrentar uma situação de desemprego.

Outrossim, os restantes GIP's que estejam ligados diretamente às Câmaras Municipais, permanecerão operacionais.

Como consequência desta medida inédita, a morosidade dos serviços poderá fazer-se sentir, tendo em conta que os utentes terão que se deslocar para mais longe e enfrentar um maior tempo de espera.

Quanto à medida em si, deixa sérias duvidas, porque se o serviço existiu desde 2010 nas escolas, porque só agora é que deixa de fazer sentido?

Autor Filipe de Freitas Leal

contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Wiphala - A Bandeira dos Povos de Toda a América

A Wiphala é a bandeira dos povos indígenas da América, mais precisamente da América andina, é baseada nas cores do arco-íris, e é formada por 49 quadrados, contendo um conjunto de sete quadrados brancos, que desce em diagonal da parte superior esquerda até à parte inferior direita.
A palavra Wiphala é da língua aimará e é baseada em duas palavras, eiphay e phalax, que respectivamente querem dizer, a alegria e o sonho de conduzir uma bandeira.
As tem significados e representam ideias e conceitos importantes para os povos indígenas, sendo os seguintes:
  • O vermelho representa o planeta Terra;
  • A cor de laranja, representa a sociedade e a cultura;
  • O amarelo a energia e a força;
  • O branco, o tempo e a dialética;
  • O verde, a economia e a produção;
  • O azul, o espaço cósmico e o infinito;
  • O violeta, a política e a ideologia.


Autor Filipe de Freitas Leal

contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Lista de Partidos Políticos Portugueses

Portugal tem hoje 21 partidos legalizados e registados no TC - Tribunal Constitucional, convém como cidadãos, estarmos bem informados do atual espectro político partidário.
Para abordar este tema, usam-se normalmente dois critérios, o da sua representatividade parlamentar associada aos resultados eleitorais obtidos pelos respectivos partidos, ou a classificação pela ordem alfabética.
No entanto optei por não usar nenhum dos dois, uso aqui um outro critério, o histórico, ou seja a data de fundação do partido e da sua legalização. Veja  alista abaixo.
PCP - Partido Comunista Português - Fundado em 1921 através de uma cisão no seio do antigo PSP Partido Socialista Português de 1875. O partido foi legalizado após a revolução de 1974 que pôs fim a 48 anos de ditadura, é um partido de esquerda da corrente Estalinista, com uma vasta história de luta anti-fascista em Portugal durante o regime Salazarista. O seu mais eminente líder foi Álvaro Cunhal (1913-2005) O partido está coligado com o PEV Partido Ecologista "Os Verdes" na CDU Coligação Democrática Unitária, que conta com 16 assentos parlamentares, sendo 14 do PCP.
PCTP/MRPP - Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses, fundado em 1970, como Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado, é de extrema-esquerda, de corrente maoista. O partido nunca chegou a ter assento parlamentar, ficando sempre aquém de o conseguir por margens muito reduzidas, foi no entanto proibido de concorrer às eleições constitucionais de 1975, juntamente com outros partidos. O seu líder mais notório é Garcia Pereira, um advogado especializado na legislação laboral e empenhado na defesa dos trabalhadores mas uma das figuras destacadas foi José Manuel Durão Barroso que chegou a Primeiro Ministro pelo PSD de centro-direita e mais tarde abandonaria o cargo por ser designado Presidente da Comissão Europeia.
PS - Partido Socialista - fundado no Exílio em 1973 na Alemanha, como ASP Ação Socialista Portuguesa, e legalizado após o 25 de Abril de 1974, é tido como de centro esquerda, e de linha social-democrata.
Na história do partido, o nome mais sonante é o de Mário Soares, um dos fundadores, que chegou ao cargo de Primeiro Minitro em 1976, e 1983, e Presidente da República de 1986 a 1996, quando foi eleito Jorge Sampaio, outro socialista notável, que veio das fileiras do antigo MES - Movimento da Esquerda Socialista. Outros nomes sonantes no PS são António Guterres e José Sócrates, este último obteve a primeira maioria absoluta da história do partido. Atualmente o partido é liderado por António Costa o Primeiro Ministro, que formou governo obtendo apoio parlamentar do BE, do PCP e do PEV, a direita nas últimas eleições obteve mais votos e mais mandatos, mas ainda assim não obtiveram a maioria absoluta para poder governar.
PPD/PSD - Partido Social Democrata, fundado em 1974, por Francisco Sá Carneiro, Magalhães Mota e Pinto Balsemão, vindos da ala liberal do partido do governo de Marcello Caetano a ANP Ação Nacional Popular, tendo renunciado ao mandato como deputados e fundado um semanário interventivo "Expresso" que foi marcante para a altura em que se vivia, após o 25 de Abril formam este partido com a sigla PPD Partido Popular Democrático, com cariz social-democrata, que chegou ao poder pela AD - Aliança Democrática (PSD-CDS-PPM) em 1979/83. Em 1983 participa do governo do BC Bloco Central (PS/PSD) e volta sozinho ao poder com Cavaco Silva, que muda o cariz politico ideológico, passando a ser de Centro-Direita e de tendência Neo-Liberal.
CDS/PP - Partido do Centro Democrático Social / Partido Popular - 1974 (l) é um partido de direita da corrente Democrata-Cristã, foi fundado após a Revolução dos Cravos. O seu fundador e proeminente líder foi Freitas do Amaral. O Partido participou em vários governos coligado com o PSD, e uma vez só com o PS em 1977.
Um dos seus líderes foi o Professor Doutor Adriano Moreira, que é o Presidente de Honra do ISCSP - Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa.
PPM - Partido Popular Monárquico, fundado em 1975 pelo arquiteto Gonçalo Ribeiro Teles, é um partido considerado de centro direita, cujo objetivo é conseguir a restauração da Monarquia em Portugal, que neste momento recairia sobre o Duque de Bragança D. Duarte Pio, descendente de D. Miguel I. O PPM já esteve no governo coligado na AD entre 1979-83.
POUS - Partido Operário de Unidade Socialista, fundado em 1976, por Aires Rodrigues, e Carmelinda Pereira, dois dissidentes do PS, que não concordaram com a linha que o partido de Mário Sorares estava a ter. O partido é tido como de esquerda da corrente Trotskista, ligado à IV Internacional.
PEV - Partido Ecologista "Os Verdes", é um partido de esquerda de corrente ambientalista ou ecossocialista, foi fundado em 1982, e desde o seu inicio que está coligado com o PCP na CDU Coligação Democrática Unitária, tendo 2 dos 16 assentos desta coligação no Parlamento. Heloísa Apolónio é a líder de bancada do partido.
MPT - Movimento "O Partido da Terra", é um partido político fundado por Gonçalo Ribeiro Teles, arquiteto urbanista e paisagista, fundador do PPM, e ex-ministro do ambiente, que defende um movimento verdadeiramente ecológico em Portugal, desvinculado de conrrentes ideológicas, mas fundamentado cientificamente na defesa de um ambientalismo, que focado tanto nos aspectos urbanos como nos ecológicos. O Partido teve grande repercussão nas ultimas eleições ao parlamento europeu tendo sido eleitos dois deputados para Estrasburgo. Atualmente o partido é considerado de centro, da corrente ambientalista.
PH - Partido Humanista, fundado em 1999 por Luís Filipe Guerra, é um partido de esquerda da corrente do Novo Humanismo partido é parte integrante do Movimento Humanista, da corrente Siloista (Mário Rodrigues Cobos) defendendo uma política real, onde o Ser-Humano esteja em primeiro plano em todos os setores e atividades sociais, culturais, económicas, políticas. Defende ainda uma transformação social e politica pela consciencialização da pessoas, e pela NVA Não Violência Ativa. Atualmente o PH foi dissolvido mas a estrutura mantém-se ativa no MH Movimento Humanista na luta pela democracia participativa e direta.
BE - Bloco de Esquerda, frente formada  em 1999 pela fusão de quatro partidos, o PSR Partido Socialista Revolucionário, de Francisco Louçã, a UDP União Democrática Popular de Mário Tomé, a PXXI Política XXI (sucessora do MDP/CDE) e também a FER Frente de Esquerda Revolucionária. Logo no ano que foi fundada o BE liderado por Francisco Louçã, conseguiu eleger 2 deputados à AR Assembleia da República.
É um partido que agregou movimentos diversos da esquerda, como ambientalistas, LGBT, sindicalistas entre outros.
PNR - Partido Nacional Renovador, foi fundado em 2000, do que se pode chamar dos escombros do PRD Partido Renovador Democrácito. O PNR é um partido de extrema-direita com tendências ultra-nacionalistas.
PLD - Partido Liberal Democrático, fundado em 2008, inicialmente com o nome Movimento Mérito e Sociedade, é um partido de centro, da corrente liberal. O logótipo do partido é adaptado dos liberais britânicos.
PTP - Partido Trabalhista Português, fundado em 2009, é de esquerda de tendencia trabalhista, atualmente só está representado no Parlamento Regional da Madeira.
PPV/CDC - Portugal Pró-Vida / Cidadania e Democracia Cristã, é um partido de centro-direita, que defende os ideais da Democracia Cristã, e da Doutrina Social da Igreja Católica baseada na encíclica da Reum Novarum, em particular o direito à vida do feto, e condena abertamente o aborto. Foi fundado em 2009.
PAN - Pessoas Animais e Natureza, partido de centro, de ideologia ambientalista e humanista, mais voltado para a defesa dos animais, combatendo em Portugal o abandono que todos os anos ocorre no país, fenómeno que tem vindo a aumentar com o agravamento da crise económica. O Partido logo no primeiro ano teve uma votação bastante expressiva faltando poucos votos para eleger um deputado. foi fundado em 2011.
MAS - Movimento Alternativa Socialista, foi fundado em 2013, é um partido de corrente da esquerda trotskista, e encontra-se ligado à 4ª Internacional, vem preencher o espaço deixado aberto pelo PSR, que se fundira no Bloco de Esquerda.
LIVRE - Partido Livre, fundado em 2014, por dissidentes do Bloco de Esquerda, é considerado um partido de extrema-esquerda da corrente libertária. Os objetivos de eleger deputados para o PE Parlamento Europeu falharam.
JPP - Juntos Pelo Povo, fundado em 2015, de centro esquerda. moderado, é um movimento de cidadãos, surgido na senda das autarquias, defende uma maior participação cívica dos cidadão na vida política do país,tendo como ideais a democracia participativa e a cidadania ativa.
PDR - Partido Democrático Repúblicano, fundado em 2015, pelo eurodeputado eleito pelo MPT, Marinho Pinho, o partido afirma-se como sendo de Centro, defende os valores republicanos e tenta preencher "o vazio na política portuguesa.
NC - Nós Cidadãos, fundado a 23 de junho de 2015, define-se como de Centro-esquerda, moderado e de corrente social-democrática. É liderado por Mendo C. Henrique. O partido estreou-se na eleições legislativas de 2015.

PURP - Partido Unido dos Reformados e Pensionistas, fundado em 2015 por associações de reformados e pensionistas, foi reconhecido e oficializado em julho com vista a concorrer às eleições legislativa do mesmo ano, no qual obteve apenas 0.26 % dos votos.
Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.