10 ANOS

Desde julho de 2007 a debater ideias e a defender causas.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Ani Charlie - Je Suis Juif

Foram a enterrar 7 das vitimas dos ataques de Paris
Hoje, dia 13 de janeiro, realizaram-se as exéquias funebres de 7 das 17 vitimas dos ataques de Paris, que se iniciou na quarta-feira do tenebroso dia 7 e terminou na sexta-feira, com a morte dos terroristas, tendo um deles assassinado quatro reféns, todos de religião judaica que se encontravam no supermercado kosher no momento em que se deu o sequestro.

As quatro vitimas, de confissão judaica, foram a sepultar em Jerusalém, a Capital de Israel, que para efeito estava coberta de bandeiras pretas com os dizeres "Jerusalém é Charlie" e contrastando com o branco da neve que cobre a cidade.

Netanyahu discursando nas exéquias
A cerimónia realizou-se junto ao muro das lamentações, num clima de grande consternação, onde estiveram presentes os familiares, políticos e lideres religiosos, como o Gran-rabino sefardita Ytzak Yosef, na leitura dos salmos e do Kadish (uma oração fúnebre judaica lida em aramaico), entre os presentes, contou-se com a presença do Presidente israelita Reuven Rivlin, e do Primeiro-Ministro Benyamin Netanyahu, ambos discursaram sobre o crescente antissemitismo que se vive hoje, tendo Israel conseguido a garantia do governo de França para a proteção das escolas e sinagogas, que passam a estar guardadas por elementos do exército francês. Por fim Netanyahu citou o nome das quatro vitimas: François Michel Saada  com 60 anos, Philipe Braham de 40 anos, Yoav Hatabb com apenas 21 e Yohan Cohen de 22 anos, todos os quatro receberam uma condecoração da Legião de Honra a titulo póstumo, pela mão da ministra francesa do ambiente, Segolene Royal. 

"Clarissa, Franck, Ahmed morreram para que nós possamos viver livres." François Hollande

Os três agentes da policia francesa enterrados em Paris
Quase que simultaneamente em França, foram também a enterrar numa cerimónia com honras de Estado, os três polícias mortos no combate aos terroristas, foram condecorados pelo Presidente francês François Hollande, tendo também a companhia do Primeiro-Ministro Manuel Valls, no momento Hollande referiu-se aos policias assassinados, como pessoas de grande coragem e dignidade, que morreram pela liberdade, frisando os nomes dos agentes Ahmed Merabet de 40 anos, muçulmano e de ascendência argelina, Clarissa Jean-Philipe de 26 anos, nascida na Martinica e Franck Brinsolaro que tinha 47 anos.




Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

0 comentários :

Enviar um comentário