10 ANOS

Desde julho de 2007 a debater ideias e a defender causas.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Mário Soares - 90 Anos

O Ex-presidente português Mário Soares completou no dia 7 de dezembro deste ano de 2014, os seus 90 anos de idade, uma efeméride que é indubitavelmente merecedora de todas as atenções, pela sua importância histórica. Soares é carinhosamente apelidado pelos portugueses de "O Bochechas" conhecido por ser além de um homem combativo, uma pessoa afável, com um ar bonacheirão e de um temperamento bastante determinado. 
  
O facto de ter nascido numa família de tradição republicana, cujo pai João Lopes Soares havia chegado a ministro durante a I República, influenciou a que ainda muito jovem ingressasse na militância política, tendo entrado para o PCP Partido Comunista Português onde conheceu Álvaro Cunhal, seu antigo amigo, de quem viria a desligar-se alguns anos depois, Soares participara do apoio à candidatura de Norton de Matos à Presidência da República, na década de 50, através do MUD Movimento de Unidade democrática, a partir daí Soares passa a defender uma linha esquerdista moderada, um socialismo ainda marxista sim, mas de corrente democrática, mais tarde já no exilio veio a contactar e até ser amigo de François Miterrand, Willi Bandt, Olof Palm, entre outros líderes Socialistas/Sociais-democratas europeus, devido às suas convicções e à luta pela democracia, esteve preso 12 vezes,  numa das quais chegou a casar na prisão com a atriz portuguesa Maria Barroso, mais tarde é-lhe imposto em 1968 o degredado no arquipélago de São Tomé e Príncipe, e posteriormente exilado em França em 1970, de onde regressara a Portugal, vindo de comboio alguns dias após a queda do governo de Marcello Caetano.


Criticado à esquerda e à direita, pela sua política e acusado durante o período conturbado da revolução dos cravos de abril de 1974, sobretudo no que concerne à forma como foi feita a descolonização das antigas colónias portuguesas em África, como o caso de Angola, cujo poder caíra nas mãos do MPLA (então um partido comunista afeto ao Stalinismo soviético) muito ao contrario do que se tinha assinado no tratado de Alvor, entre esse partido a UNITA e a FNLA, pelo que fez com que essa ex-colónia mergulhasse numa guerra civil que mais não foi que um dos palcos da Guerra fria; Paralelamente a isso a situação dos antigos colonos (denominados em Portugal de retornados) era na verdade a da situação de refugiados tendo perdido tudo, e em alguns casos até familiares, regressarando em pontes aéreas criadas de emergência para evacuar os cidadãos portugueses em África, esta é uma das criticas que sofre da direita portuguesa, que é a sucessora ideológica da ANP Ação Nacional Popular o partido do poder do regime salazarista durante o governo de Marcello Caetano. No entanto creio sinceramente que esta critica pela descolonização é-lhe injustamente imputada, pois Soares não era o chefe de governo, e não estava sozinho nos governos provisórios, que eram compostos por vários partidos como o PS socialista liderado pelo próprio Mário Soares, PPD de Sá Carneiro e Magalhães Motta, PCP liderado por Avaro Cunhal, CDS de Freitas do Amaral e MDP/CDE de FranciscoPereira de Moura.

As criticas à esquerda, condenam-no de traidor da causa socialista que era de certa forma o cunho da revolução dos cravos, tendo como exemplo a célebre frase de Soares quando tomou posse no I Governo constitucional em 1976 dizendo: "Guardemos o socialismo na gaveta."

Mas não esquecendo que também herdou muitos simpatizantes, e uma das frases populares mais conhecidas dos anos 80 "Soares é fixe", e isso ilustra que de facto é uma figura a quem os portugueses devem muito, pois no meu entender, embora tenha-o criticado por algumas opções menos felizes que tomou, não deixou de ter um papel importantíssimo na História do nosso país por três grande obras suas

1.º - A coragem e a determinação de ter criado um movimento de oposição que era a alternativa democrática face à oposição dos comunistas, inicialmente pelo MUD, que se desfez, posteriormente pela CEUD, Comissão Eleitoral de Unidade Democrática que era a sucessora do movimento acima citado, e por último a ASP Ação Socialista Portuguesa, constituída no exilo, que vem a dar lugar por sua vez em 19 de abril de 1973 na então Alemanha Ocidental na cidade de Bad Musteinfel, ao PS Partido Socialista, denominando-se o herdeiro legitimo do antigo e histórico Partido Socialista Português, fundado em 1875, por Antero de Quental entre outros. 

2.º - O facto de ser um dos pais do regime democrático saído do período revolucionário, e o PS foi inegavelmente o partido que consolidou a democracia em Portugal, tendo sido o voto útil dos portugueses nas eleições constitucionais de 1975, e nas legislativas de 1976.


3.º - Uma vez, derrubado o regime fascista, consolidada a democracia, foi o responsavel pelo primeiro verdadeiro plano para um futuro para portugal, que era em primeiro lugar voltar-se para a Europa da então CEE Comunidade Económica Europeia, tendo feito o pedido formal ainda durante o seu primeiro governo em 1976.


Filipe de Freitas Leal


contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa ONG, vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos e poesia.

0 comentários :

Enviar um comentário