10 ANOS

Desde julho de 2007 a debater ideias e a defender causas.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

O Reconhecimento da Palestina Trará a Paz?

O Reconhecimento da Palestina[1] como um Estado independente, feita primeiramente pela "Câmara do Comuns" no Reino Unido e agora aprovado pelo "Congresso dos Deputados" em Espanha, seguir-se-á ainda a França nos próximos dias, em si isto nada tem de mal, e é a visão europeia, baseada no pluralismo, democracia ocidental e dentro desta perspectiva os respectivos países visam contribuir para o fim das hostilidades de uma crise que tem mais de 70 anos de existência. Este reconhecimento por si só, trará a paz tão desejada?

O problema está nas contrapartidas, quais são? Quais as condições impostas para que se possa garantir a paz? E o Hamas[2] continua com a sua política? Se não houver o inequívoco reconhecimento do direito de Israel a existir como Estado independente, penso que se está a dar uma carta em branco que a curto ou a médio prazo tornará a situação ainda pior.

Nós europeus infelizmente vimos hoje em dia as coisas de outros povos como se fossem iguais a nós, e somos deveras os culpados de o Médio Oriente ser um Barril de pólvora devido à nossa ignorância (e também dos estadunidenses)[3] e à nossa presunção de superioridade latentes no etnocentrismo[4] e no eurocentrismo[5] que sempre foram desastrosos na política internacional.

Porquê só agora a Europa se preocupa em reconhecer a Palestina, sobretudo ao mesmo tempo que o "Estado Islâmico do Iraque e do Levante" torna-se uma ameaça real à paz? É para acalmar os ânimos travar a continua perda da vida de milhares de cristãos? O que está por trás deste ato que parece mera diplomacia?
Podemos classificá-lo como um ato de coragem ou de covardia? A história mostrará no futuro a resposta.

É preciso entrar na mente do outro, calçar as suas sandálias, e ver com os seus óculos para os compreendermos.

Curioso no meio disto tudo são as contradições, pois o Reino Unido, também não quer libertar a Irlanda do Norte e nem devolver Gibraltar a Espanha, esta por sua vez, não aceita quaisquer possibilidades de separatismo quer dos terroristas como a ETA no País Basco, quer por iniciativas políticas como o referendo que acabou por ter sido proibido de se realizar na Catalunha, além de continuar a ter Ceuta e Melila como enclaves coloniais no norte de África, A mesma Espanha que hoje reconhece a Palestina, é um dos países que se recusa a reconhecer a independência do Kosovo; Por sua vez a França que ainda detém uma grande colónia a Guiana Francesa na América do Sul e também não permite a independência quer do País Basco francês, quer da Córsega acabam por decidir o reconhecimento da Palestina após 70 anos, mesmo quando a Palestina se recusou a ser um país independente para minar à nascença o Estado de Israel.



[1] Palestina era o nome dado a Israel aquando da ocupação romana.
[2] Hamas é um partido e um grupo para-militar que não reconhece Israel como um Estado tal como fora definido na Resolução 181 da ONU em 1947.
[3] Estadunidense é o termo atual para se definir os cidadãos nascidos nos Estados Unidos da América, pois americano é todo aquele que nasce na América o continente vai do Canadá à Terra do Fogo.
[4] Etnocentrismo é o conceito ideológico em que uma determinada etnia se pressupõe superior a outra.
[5] Eurocentrismo é uma visão política e cultural europeia que pressupunha a Europa como o centro do mundo civilizado e a origem de uma grande civilização a nível mundial.


Por Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor                                                                           
Filipe de Freitas Leal é Licenciado em Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa ONG, vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, É Blogger desde 2007, com o ideal de cariz Humanista, além disso dedica-se a outros blogs de cariz filosófico, teológico e poético.

0 comentários :

Enviar um comentário