Raif Badawi o Direito de Ser Blogger

Somos todos Raif Badawi, se acreditamos que a liberdade de expessão é um direito inalienável da Pessoa Humana, então todos somos Raif Badawi.

O Humanismo

O Humanismo mais que uma ideologia é uma praxis ao alcance de cada um de nós, somos chamados a fazer o que estiver ao nosso alcance e de acordo com as nossas possibilidades em prol do bem comum.

A Terceira Idade e a Cultura Intergeracional

A revolução grisalha, e a cultura de uma sociedade intergeracional, juntanto-se a todo o conjunto de uma cultura de inclusão, a força da juventude e a sabedoria da idade produzem um mundo novo.

Solidariedade Social

A solidariedade social, mais que comunhão de esforços em prol de causas é o dar-se em prol dos nossos semelhante, é um dos temas centrais deste blog,.

Trabalhos Académicos, do Serviço Social e Sociologia à Ciência Política

Desde 2010 que o Etcetera, disponibiliza para consulta, um conjunto de estudos académicos de várias áreas da ciência, como sociologia, psicologia, ciência política, economia social entre outras.

Sugestões de Leitura - Lista de Livros

Lista de Livros, sugestão dos mais importantes da Literatura Universal e Humanista, o mais importante é ler bons livros e não sermos guiados pelos livros da moda.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

A Paz Não é um Monólogo, Fim ao Terrorismo

Te todos os povos do Mundo, há dois povos que foram impedidos de ter terra, uns eram os Ciganos por serem nómadas e pagãos, os outros eram os Judeus, por terem sidos expulsos pelos romanos e por permanecerem fiéis à sua fé judaica.

Essa tradição ainda hoje se mantém, de expulsão em expulsão, de pogrom em pogrom, passando ao Holocausto, a Europa racista quis ver-se livre dos judeus, o britânico Balfour permitiu que eles voltassem à sua terra natal, onde aliás sempre existiram judeus, os mais fieis e teimosos, que queriam viver na terra prometida, a esses judeus chamados Sabras, os árabes impunham-lhes os mais altos impostos, e exigiam que vivessem nas casas mais pobres dificultando-lhes a vida forçando-os a vagas sucessivas de emigração e degredo. É por isso que o número de judeus era muito reduzido.

A Palestina, aliás nunca existiu como país, e nem como povo, os palestinianos são árabes, a Palestina só existiu pela simples razão de os Romanos, rebatizarem a Judeia de Palestina, como forma de subjugar o povo hebreu, e muito mais tarde a Província da Palestina que era parte do Império Otomano, incluía o que hoje é a Jordânia.

O Líder muçulmano de Jerusalém o "Mufti" temia que o retorno dos judeus à Terra Santa, viesse a ser o que de facto se tornou, Israel, e por isso reuniu-se com Adolfo Hitler, desejando o extermínio total dos judeus europeus.

A Palestina não existia no início do Século XX, o que Existia era o Império Otomano, que fora retalhado após a I Guerra Mundial, aos franceses coube o Líbano, aos Ingleses, a Palestina (Israel e Jordânia atuais).

Para resolver o problema da Província da Palestina, a mesma foi dividida em duas partes, a Oriental (Jordânia) e a Ocidental, que viria a ser dividida em dois estados o Judaico e o Árabe, pela resolução 181 da ONU em 1947.

O Problema é que após a retirada dos ingleses, (e lavaram as mãos) do terreno, os países árabes não aceitam no meio deles a existência de nenhum outro país que não seja muçulmano, daí Israel após a declaração de independência ter sido atacado por 6 países ao mesmo tempo. Egito, Líbano, Síria, Jordânia, Iraque e Arábia Saudita.
Israel contudo conseguiu vencer todos esses seis exércitos, mas há algo curioso, Israel respeitou a existência de um Estado Muçulmano, que por sinal foi anexado pela Jordânia e pelo Egito.

De qualquer modo, a Paz, e a Independência de Palestina, são necessárias para o bem de Israel, e do Mundo, e defendo que isso se faça o mais breve possível, no entanto todos os países árabes tem a obrigação de reconhecer o direito de Israel existir como nação, e de os judeus poderem viver na terra de onde foram expulsos por romanos, cristãos, muçulmanos ao longo dos séculos.
No entanto a condição sine quan non, é a total renúncia armada e o fim desmantelamento dos movimentos terroristas. Pois a Paz não pode ser um ato unilateral de boa vontade.

Massada só aconteceu uma vez na história da Humanidade, nunca mais irá voltar a acontecer.

A Paz Urge, e que D-us o Pai dos povos do livro permita-a de facto.






Sobre o Autor



 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

terça-feira, 22 de julho de 2014

A Lusofonia perdeu João Ubaldo Ribeiro

Um homem multifacetado, formado em direito, professor, jornalista, colunista, romancista e roteirista/guionista de cinema, João Ubaldo Ribeiro, deixa-nos mais pobres, deixa o mundo da lusofonia incalculávelmente mais pobre.

Nascido no Estado da Bahia, na cidade de Itaparica, em 1941, João Ubaldo Ribeiro vivia atualmente na cidade do Rio de Janeiro, onde faleceu dia 18 de julho, 
formado em direito, e tendo sido professor, é contudo nas artes que o seu desaparecimento é profundamente sentido, mas com um até já, como o dos grande artistas e autores, pois a sua obra deixou-nos como um grande legado a ser lido, estudado e explorado para a melhor compreensão da cultura brasileira e das várias vertentes socio-culturais e históricas que a formam, dentro do espectro do pensamento político bastante critico, mas acima de tudo o que um grande artista como Ubaldo Ribeiro pretende é a consciencialização de sermos nós a ver com os nossos olhos, não havendo verdades absolutas, e muito menos ideias feitas ou acabadas.

Dos seus mais famosos livros, destacam-se "A casa dos budas ditosos", e também "Viva o Povo Brasileiro", era tido como um escritor de grande senso de humor, e sensualidade. 


Este artigo respeita as normas do novo Acordo Ortográfico.


Sobre o Autor



 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

Carlos do Carmo Recebe Grammy

O cantor português Carlos do Carmo, foi laureado com um Grammy pelo conjunto da sua obra, ao longo da sua carreira, é o primeiro português a receber tal prémio, e é uma distinção também merecida para o fado novo.

Tal como foi dito pelo juri que atribui o prémio, trata-se de uma homenagem ao autor de "Um Homen na Cidade" e por toda a sua obra, a Prize Lifetime Achievement, este é um momento que coroa de glória o trabalho do interprete e fadista.


Poema # 28 - Nossa Casa, Nosso Espelho

A nossa casa é o espelho do nosso sentir,
O reflexo do nosso modo de ver,
A aura da nossa alma,
E se não nos revimos nela,
Tornam-se opressoras as suas paredes,
Gritos ensurdecedores os seus silêncios,
E nossos passos cansados arrastam-se.

Se a nossa casa for antes de tudo,
O mais belo espelho reluzente do nosso ser,
Até os livros fechados falam de nós,
Os papeis desalinhados que nos esperam,
A chávena de chá, em cima da mesa,
A luz que entra pela janela entre cortada
Pelas persianas, falam de outra luz.

A Luz que nos vai cá dentro,
E cada canto, cada pedacinho somos nós,
quase mudos, são nossa plateia,
Nos conhecem tanto ou melhor que nós.
...

Somos, não o que os outros vêm
Mas fundamentalmente o que nós vimos
Sentimos e tocamos, no perpétuo movimento
De aprender a ser.




Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

O Problema de Israel e da Palestina é o Terrorismo

Primeiramente houve a visita do Papa a Israel e à Palestina, depois seguiu-se a oração no Vaticano com as três religiões a rogar pela Paz.

O que aconteceu a seguir?
Os terroristas do Hamas, armaram-se até aos dentes de armas de fogo de longo alcance e esperaram.

Depois, foram sequestrados 3 adolescentes judeus, encontrados mortos em território palestiniano, pelo exército israelita que teve que entrar para procurar e recuperar os corpos dos jovens mortos pelo ódio antissemita.

Seguiu-se o assassínio de um adolescente palestiniano, (ato igualmente condenável) no entanto o Estado de Israel, procurou apurar a verdade dos factos e prendeu os responsáveis, a Autoridade Palestiniana não fez o mesmo face ao assassínio dos jovens israelitas, e porquê? Porque não tem poder sobre o Hamas.

Seguiram-se o lançamento de misseis de longo alcance, a partir da Faixa de Gaza, justamente posicionados em bairros residenciais pelo Hamas, usando a população como escudo humano.
Foram mais de 400 rockets lançados contra o povo e o Estado de Israel.

O que Portugal faria se um grupo terrorista fizesse o mesmo lançando misseis que chegassem a Lisboa, não atacaria como forma de defesa da sua população?
O que faria o Brasil, se fosse atacado por grupos terroristas, que enviassem misseis de longo alcance?
E se fosse até mesmo um país árabe a ser atacado por terroristas não se defenderia? Não foi o que aconteceu no Mali, que teve de pedir ajuda à França para combater contra terroristas ligados à "Alcaida"?

A imprensa comentou sobre a derrota do Brasil frente à Alemanha, mas não comentou que Israel estava a ser atacado.
A imprensa comentou que Israel estava a bombardear a Palestina. Falso, totalmente falsa esta informação, Israel ataca estrategicamente os alvos que são os locais de onde os misseis são lançados, mas a falsidade propositada das noticias, gera o aumento de sentimentos xenófobos, antissemitas, que em nada contribuem para a Paz.

Eu defendo a Paz, mas não defendo que possa haver paz unilateral, enquanto um grupo terrorista com uma ideologia próxima do Nazismo se arme até aos dentes para atacar precisamente quando os esforços pela paz estavam cada vez mais próximos de um entendimento entre Israel e a Palestina, no intuito do reconhecimento bilateral, do direito à existência e da autodeterminação de ambos os povos, e não há outro caminho que não este, o reconhecimento mútuo e o fim do Hamas.

Questiono também como é que figuras públicas apressam-se imediatamente em apoiar um dos lados sem tentar ter conhecimento dos factos, como é o caso do nosso futebolista Cristiano Ronaldo em fotografias no facebook com a Bandeira da Palestina, como se Israel tivesse em guerra com a Palestina em vez de estar sim com o Hamas.

Convido-os pois a fazerem tábua rasa dos conceitos que previamente têm, quer seja por informações pessoais, quer seja pela imprensa. 
Vamos tentar olhar o problema de frente, com intuito de paz e não de ódio, mas olha-lo nos seus mais variados aspectos, quer cultural quer político e social.



Por Filipe de Freitas Leal




Este artigo respeita as normas do novo Acordo Ortográfico.



Sobre o Autor



 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

terça-feira, 15 de julho de 2014

Cartoon # 12 - A Química do Ódio


Seja onde for, o ódio nasce sempre da combinação química do medo com a ignorância, gerando também os fanatismos e a incompreensão do outro. 

Este artigo respeita as normas do Novo Acordo Ortográfico

Sobre o Autor

 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

Morreu Edouard Shevarnadze - O Líder Georgiano

Eduard Shevardnadze, ex-presidente georgiano faleceu em Tiblissi no dia 7 de julho aos 86 anos, tendo nascido em 1928, durante a URSS União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.

Shevarnadze foi ministro de Assuntos Exteriores da União Soviética, entre os anos de 1985 a 1990, no governo de Mikhail Gorbachev, tendo sido junto com este, um dos mentores do fim da Guerra Fria, um homem favorável à retirada das tropas do Afeganistão, e da queda do Muro de Berlim, Shevarnadze foi juntamente com Gorbachove um dos promotores da Perestroika (Reestruturação) que conduziu à dissolução da URSS e à secessão dos diversos estados daí advindos, como a Geórgia.

Após o colapso da URSS e o fim da Guerra Fria, do qual é um dos mentores, veio a ser o primeiro presidente da Geórgia, cargo que ocupou de 1992 a 2003, tendo renunciado durante os protestos que conduziram à Revolução Cor de Rosa.


Este artigo respeita as normas do novo Acordo Ortográfico.


Sobre o Autor



 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

domingo, 13 de julho de 2014

Música - Adriana Calcanhoto - Esquadros

Minha alegria, meu cansaço
Meu amor, cadê você?
Eu acordei
Não tem ninguém ao lado

Pela janela do quarto
Pela janela do carro
Pela tela, pela janela
Quem é ela? Quem é ela?
Eu vejo tudo enquadrado
Remoto controle

Eu ando pelo mundo
E meus amigos, cadê?
Minha alegria, meu cansaço
Meu amor cadê você?
Eu acordei
Não tem ninguém ao lado

Pela janela do quarto
Pela janela do carro
Pela tela, pela janela
Quem é ela? Quem é ela?
Eu vejo tudo enquadrado
Remoto controle

Música - Adriana Calcanhoto - Vambora

Entre por essa porta agora
E diga que me adora
Você tem meia hora
Pra mudar a minha vida
Vem, vambora
Que o que você demora
É o que o tempo leva

Ainda tem o seu perfume pela casa
Ainda tem você na sala
Por que meu coração dispara
Quando tem o seu cheiro
Dentro de um livro
"Dentro da noite veloz"

Ainda tem o seu perfume pela casa
Ainda tem você na sala
Porque meu coração dispara
Quando tem o seu cheiro
Dentro de um livro
"Na cinza das horas"

sábado, 12 de julho de 2014

7º Aniversário do Blog


O Blog Humanista, comemora este mês de julho o 7º Aniversário, e assim vai paulatinamente afirmando-se como um blog que veio para ficar, na defesa de ideias e causas, e num sinal inequívoco de consolidação no universo blogger, tendo sido construído ao longo destes sete anos, com um espírito de perseverança, dedicação e com objetividade de princípios claramente voltados para a causa humanista, da defesa dos direitos humanos e da justiça social, que aliás não poderia ser de outro modo.

Este blog entra assim no ano VIII da sua atividade, mas não entra sozinho, entra acompanhado de leitoras e leitores, que acumulou ao longo destes sete anos, quer no Blogger, quer nas redes sociais como Facebook ou Twitter, mas sempre a somar, e a seguir em frente num projeto cujo foco é o debate de ideias e a partilha de conhecimentos sobre inúmeros temas sociais, políticos, económicos e também educativos na partilha de conhecimentos. Este ano a novidade no aniversário é o lançamento do El Blog Humanista, a edição em língua espanhola deste blog.


A todos os leitores o agradecimento sincero do vosso contributo, este é um aniversário em que mais do que as congratulações que nos enviam, é de facto o "Muito obrigado a todos os leitores, e que hajam ainda muitos anos de vida para o blog humanista"

Este artigo respeita as normas do novo Acordo Ortográfico.


contador de visitas Pessoas viram este artigo

Sobre o Autor

 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

sexta-feira, 11 de julho de 2014

11 de Julho - Dia Mundial da População


 Por ser precisamente o Dia Internacional da População, abordamos aqui o envelhecimento na atualidade do ponto de vista demográfico.

Envelhecer hoje em dia é muito diferente do que há duas ou três décadas atrás, não apenas por uma nova visão sobre de idosos pelas novas gerações, mas por exemplo o é pelos fenómenos demográficos atuais.

Há um lado positivo nisto, que é sobre as condições de vida, que tem vindo a melhorar desde o final da II Guerra Mundial, e também devido ao desenvolvimento da medicina num permanente combate contra as doenças, e isto equacionado, gerou um envelhecimento populacional, passando a haver cada vez mais pessoas acima dos 65 anos, observando-se um crescimento exponencial das faixas etárias mais elevadas.

Então temo hoje um novo mundo, com uma nova economia, de olhos postos nos idosos que passaram a ser um nicho de mercado, para o qual se desenvolveram produtos específicos, serviços e um novo modo de vida, o envelhecimento ativo, com uma terceira idade mais culta, mais confiante, e mais atuante que os antigos idosos.

Outro ponto é que este fenómeno aconteceu pela primeira vez na Europa, o dito "elho continente" ou velho mundo, ou por outras palavras, foi um fenómeno localizado, tendo havido o envelhecimento populacional no topo e na base, ou seja, isso acontequa quando se dá simultaneamente o aumento da longevidade, a queda do índice de mortalidade nos idosos, conjugado com o decréscimo da taxa de natalidade, visto que a tendencia é que cada casal tenha menos filhos que as gerações anteriores, modificando a estrutura da pirâmide demográfica de uma dada população, inicialmente na Europa, hoje trata-se de um fenómeno global, que consigo trás também desvantagens ou mais precisamente problemas relacionados aos fatores demográficos.

Países pouco desenvolvidos tem uma população muito jovem, mas há medida que vão se desenvolvendo e no qual as condições de vida melhoram, tende a haver uma alteração similar à que houve na Europa, e isso está a acontecer em países como o Brasil, entre outros países em desenvolvimento, passando a ser hoje um problema global.

Uma das consequencias deste fenómeno é precisamente a sustentabiidade dos serviços de Proteção Social por parte do Estado, no que toca ao apoio na doença, na velhice, no desemprego e no pagamento das pensões dos aposentados / reformados, porque há cada vez menos trabalhadores para contribuir com os seus impostos, e há cada vez mais idosos a aposentarem-se e a necessitar receber as pensões pelas quais esperaram uma vida tendo contribuindo para os aposentados / reformados do seu tempo.


Na minha opinião, esta é no entanto uma nova tarefa para os políticos, os economistas e os sociólogos para encontrar uma nova solução sustentável através de políticas económicas e sociais viáveis ​​de acordo com este novo mundo, e de uma nova forma de conviver e participar ativamente numa sociedade intergeracional.

Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Cartoon # 11 - O Conflito Israelo-Árabe.


O conflito armado na Faixa de Gaza, entre o Hamas e o Estado de Israel.
Embora haja a desproporção dos meios, há também a desproporção dos escudos:
Israel usa escudos anti-míssil, o Hamas usa escudos humanos, ao fazer as suas bases em bairros residenciais 


Este artigo respeita as normas do Novo Acordo Ortográfico

Sobre o Autor

 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Israel - O Estado Democrático do Médio Oriente

Sabia que Israel é o único país democrático do Médio Oriente?

E sabia que vivem em Israel mais de 1,5 milhões de árabes muçulmanos em várias cidades de Israel, que são bem aceites e bem integrados, tendo inclusive a cidadania Israelita?

Há muita gente que desconhece o facto que no Parlamento de Israel "Knesset" há deputados árabes, muçulmanos e até palestinianos eleitos democraticamente, sabia disto?

Você sabia que os Árabes ...israelitas gostam de viver em Israel e até já há um dialeto comum entre ambas as comunidades chamado de "arabraico"?

Uma Aluna árabe, com a sua mãe e
a professora israelita.
Saiba, que quando o governo de Israel fala em defender a sua população, e suas crianças, não está só a falar de judeus, mas fala de todos sem exceção, dos milhões de árabes muçulmanos e de Cristãos, comunidades que vivem em paz e num País que é Democrático, moderno e respeita os direitos Humanos, bem como o direito dos outros povos a existir livremente, tal como eles também querem poder ser respeitado e existir como um país independente  e viver em Paz com os seus vizinhos. Conhecia este ponto de vista?

Muita gente desconhece, e não sabe que os judeus não obrigam ninguém a se converter à sua religião, as pessoas são livres te der a sua fé em Israel, e no judaísmo acreditam que D-us é o pai de todos os povos e religiões, sabia disto?

Então porque tanto antissemitismo?
Agora diga-me você acha que Israel não tem direito a defender-se em caso de ser cobardemente atacado por grupos terroristas que usam inclusive pessoas humanas como escudos.?
Os Terrorista não respeitam a "Convenção de Genebra" portanto o que está a acontecer é muito pior que uma guerra oficial.

Pense bem, pense duas vezes, antes de atirar a primeira pedra,
Informe-se, leia mais sobre como nasceu Israel.
Você sabia que os israelitas aceitaram a existência de todos os Estados Árabes inclusive o Palestiniano? Mas no entanto a Palestina nunca quis reconhecer o direito dos judeus retornarem à sua terra ancestral e viver na parcela que lhes fora autorgada pela ONU após o fim do Holocausto e da II Guerra Mundial?

Você sabia que os cristãos sempre se colocaram contra os judeus, e que sempre os quiseram expulsar da Europa por motivos meramente religiosos?

Agora diga para si mesmo com toda a sinceridade,!
você acha que se o seu país fosse atacado, o seu governo deveria ficar de braços cruzados?
Mulher de origem árabe e religião cristã,
servindo no exército de Israel (IDF)
Há e só para finalizar, fique sabendo que no exército de Israel não há só judeus israelitas, há também árabes muçulmanos e cristãos homens e mulheres, lutando de igual modo pela defesa do seu país e do seu povo, contra a covardia dos Terroristas do Hamas.

Aqui vemos uma mulher soldado árabe-crist no exército de Israel, ao lado temos a imagem de um árabe israelita e muçulmano votando nas eleições livres de Israel. Vemos ainda uma aluna árabe com a sua mãe e a professora israelita, dois adolescentes amigos que não vêm a separação da religião, o Presidente de Israel que recebe o Líder da Comunidade Muçu
lmana Israelita.

Fique sabendo de uma coisa:
QUANDO ISRAEL LUTA, Não luta contra outros povos ou religiões, Luta para se defender e continuar a existir, e é por isso que os judeus existem há 3700 anos

Não julgue só pelo que ouve falar nos cafés,
ou nas noticias falsas e racistas das TV's e dos Jornais.
Pense por si mesmo e não pela cabeça dos outros. informe-se!



Por Filipe de Freitas Leal




Este artigo respeita as normas do novo Acordo Ortográfico.



Sobre o Autor



 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)