10 ANOS

Desde julho de 2007 a debater ideias e a defender causas.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Gabriel García Márquez - O Mago Realista

Gabo, como era conhecido Gabriel García Márquez, foi um dos escritores de língua espanhola mais famosos, há quem diga que terá sido superado somente por Cervantes, tendo sido traduzido em mais de 36 línguas, num total de 40 milhões de exemplares vendidos em todo o Mundo. Gabo, foi inicialmente um poeta, e mais tarde dedicara-se de uma forma dedicada e obstinada à literatura, tentando retratar de um modo muito próprio a realidade do mundo que nos cerca, tendo inventado um estilo literário denominado hoje de Realismo Mágico, com o qual fora laureado com o prémio Nobel da Literatura em 1982. do qual se pode salientar Cem anos de solidão de 1967, talvez a sua obra mais marcante, Crónica de uma morte anunciada, publicado em 1981, entre outros textos, contos e crónicas, havendo também mais tarde de 1985 o famoso Amor em tempos de cólera. Além de que fora também jornalista tendo criado a revista "Alternativa" para a qual fez algumas reportagens sobre Portugal no período revolucionário. 
Nascido na Colômbia na cidade de Aracataca a 6 de março de 1927, faleceu no dia 17 de abril de 2014, com 87 anos, na Cidade do México, país que adotou em 1961, após ter vivido nos EUA, mas a sua amizade com Fidel Castro e o seu ideal socialista, fizeram-no mudar-se, ficando a viver até à sua morte na Cidade do México, muito embora vivesse sempre na imaginária Macondo de forma poética e permanente.
García Máquez e o 25 de Abril em Portugal
Em pleno PREC, Período Revolucionário em Curso, que se vivia em Portugal na altura da Revolução dos Cravos, García Márquez esteve em Portugal, de passagem, conversando com políticos, jornalistas, escritores e sentido por ele mesmo nesses contacto o clima de alegria contagiante que se vivia em Portugal, terá afirmado que "Lisboa é a maior aldeia do Mundo", e que "os portugueses estão tão contentes com a liberdade que não param mais nos semáforos" relatando também que era um Portugal feliz e colorido o que ele havia encontrado.
Mais tarde aquando da adesão à então CEE, afirmou "É com os sapatos rotos, e o casaco remendado, que Portugal senta-se à mesa com os mais ricos da Europa".
Em suma creio que o que dá sentido à vida é a obra para a qual estamos destinados, Gabo cumpriu sua missão, e a obra ficar-lhe-á tanto grata como eterna.
Livro Ebook - Cem Anos de Solidão

Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

0 comentários :

Enviar um comentário