10 ANOS

Desde julho de 2007 a debater ideias e a defender causas.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Dicas Para Estudar Melhor

Uma das grandes preocupações dos alunos (incluindo os mais atarefados como os trabalhadores estudantes ou simplesmente os estudantes adultos) é precisamente a preocupação de como estudar de forma mais eficiente a fim de aprender de modo eficaz e obter resultados consideráveis nas provas ou exames. No entanto as dicas aqui presentes não se destinam exclusivamente à época de exames ou a provas, mas sim a todo o percurso da aprendizagem.
E aqui deixo aos leitores algumas dicas que também tive de aprender, quer pela pesquisa, quer pela consulta a colegas da faculdade ou até mesmo por tentativa e erro de métodos a que me propunha, e também pela leitura de livros afins, como o livro Método Ser Bom Aluno - Bora Lá? da Autoria de um meu Professor o Dr. Jorge Rio Cardoso, que aliás é meu orientador no estágio de Serviço Social, livro esse que é publicado pela editora 'Guerra e Paz', assim deixo-vos enumerado abaixo os seguintes métodos:
1.º) – Apontamentos: É sempre bom fazer apontamentos, embora eu não os fazia na sala de aula devido à necessidade de concentrar-me e compreende o que o Professor dizia e entender a matéria dada pelo docente, no entanto apontava sempre as palavras novas, as ideias centrais que depois estudava em separado em casa.
2.º) – Resumos: O aluno não deve deixar de fazer os seus resumos num caderno ou em folhas soltas, acerca dos capítulos dos livros, é alias aconselhável faze-lo sempre, os resumos tem como objetivo não o de decorar o capitulo, mas entender a matéria dada e saber relaciona-la com ciências afins que nos ajudam a compreender melhor o que está a ser estudado e ver como as ideias se conectam. Isso é observado em disciplinas como História, Sociologia, Filosofia, Antropologia etc.
No início é difícil fazer-se resumos, mas com o tempo ganha-se prática e desenvolve-se a aprendizagem de uma forma mais fluida, além do mais os resumos melhoram a memória e consolidam os conhecimentos adquiridos numa espécie de "Árvore de Ideias"
3.º) – Destacar ou sublinhar: São trechos do livro de estudos, é uma técnica muito usada, eu pessoalmente não faço isso pois torna o livro ilegível para terceiros, opto sempre por usar post-its ou marcadores (bandeirolas) coloridos para marcar a página e o parágrafo a reler.
Pode-se optar por usar lápis ou lapiseira para sublinhar de leve algumas linhas importantes ou fazer pequenos apontamentos nas margens das páginas do livro. Ajuda imenso e não estraga.
4.º) – Mnemónicas: É o uso de palavras-chave que podem ser uteis quando estamos perante um tipo de disciplina ou matéria que não estamos muito à vontade e precisamos lembrar para facilitar na ora de fazer a prova, evitando assim as chamadas “brancas” que na hora do exame podem por tudo a perder. A mnemónica pode ser inclusive formada por siglas, por exemplo: imagine que a pergunta é quais os países que formam a América do Norte? E a resposta correta será Canadá, Estados Unidos da América e México, então usa-se apenas as iniciais de cada resposta, C,E,M. e memoriza-se quando a pergunta for lida na prova, lembrar-se-á que a resposta é CEM. Este é um exemplo, outro pode ser o uso de palavras-chave, sem serem siglas, mas palavras que sirvam de ligação e memorização. Um nome uma data, etc.
5.º) – Gravar, uma outra técnica é a de gravar as aulas e em casa ou nas horas vagas no transito ou nos transportes públicos, relembrar a matéria, o problema é que para tal ser possível há que ter autorização prévia dos docentes, o que nem sempre é possível, pois ao permitirem a um terão aberto um precedente para os demais,
6.º) – Monólogo, ou seja fale consigo mesmo acerca da matéria dada, diga o que compreendeu, relacione factos, ideias, pode ser utilizado previamente ao resumo da aula, e posteriormente ao apontamento da leitura de livros da matéria que está a ser dada pelo Professor.
7.º) – Diversificar: Não estude num mesmo dia a mesma disciplina várias horas seguidas, diversifique o estudo com outras disciplinas, e se possível coloque à mistura leituras livres de outros temas como livros ou revistas, isso ajuda a manter a mente ativa mas não cansada.
8.º) – Pausas: Não estude sozinho por mais de uma hora faça pequenas pausas de 10 a 15 minutos, descanse, coma algo, beba água ou sumos naturais, mas nada que seja pesado a fim de poder voltar para os estudos mais animado.
9.º) – Tempo: Por vezes e sobretudo para os estudantes que trabalham, ou tem família, o estudo é difícil e com uma escassez de tempo bastante acentuada, o que faz com que se tenha de ser mais rigoroso nos horários pré-estabelecidos, por isso siga à risca os seus objetivos e tente controlar a assiduidade do seu estudo caseiro a fim consolidar o hábito.
Não deixe para estudar para a véspera, e se possível nem estude no dia, do exame, pois isso na maioria dos casos associado ao nervosismo gera esquecimento e pode sair a perder, por isso reserve para si no mínimo dos mínimos uma hora e meia por dia, com os tias 15 minutos de intervalo.
10.º) – Lugar: Tudo tem que ter o seu local próprio, e os estudos também, o ideal é numa mesa, ao pé de uma estante com todos os livros que necessita, de preferência sem TV, a televisão é um assassino do nosso tempo e um péssimo investimento para a nossa cultura, acredite, o lugar de estudos deve ser confortável mas não em demasia, devendo ser um lugar bem iluminado e silencioso.
Tenha o mínimo necessário na mesa, o livro e o caderno da disciplina que está a estudar, folhas em branco para rabiscar previamente ideias soltas, notas etc., canetas, lápis, marcadores de páginas.
11.º) – Música: A música faz parte do ser humano em diversas ocasiões, e pode fazer também parte dos estudos, porque não? Mas deverá ser algo adequada, como por exemplo música instrumental, sem letras, podendo optar por música clássica ou jazz, mas ainda assim em volume baixo.
12.º) – Bem-estar Físico e Emocional: Exercícios físicos e uma boa alimentação, bem como o descanso noturno de no mínimo 7 horas, ajudam imenso nos estudos, eu descobri isso muito tarde e aliás nunca dormia mais que cinco horas, por vezes menos de quatro, mas a verdade é que melhora imenso a performance nos estudos se exercitarmo-nos, quer seja a andar, correr um pouco ao ar livre, ou mesmo se for o caso praticar desporto com colegas e pessoas amigas.
O convívio deve ser tido em conta, estar bem emocionalmente é meio caminho para o êxito não só nos estudos mas em quase tudo na vida, e neste caso também melhora muito a nossa autoestima.
Quanto à alimentação, não decreto nenhuma receita, mas simplesmente a moderação na quantidade, e em época de exames deve-se evitar comidas pesadas e bebidas gasosas, para além de fazerem sentir-se mal desconcentram imenso na hora H dos Exames ou provas.
Enfim estas são as dicas que deixo, a concentração nunca foi o meu forte, por isto deixo aqui este conselho, se é trabalhador estudante, se tem família a cargo procure os métodos e tente ser rigoroso, pois vai poupar tempo e obter melhores resultados. Boa sorte a todos os alunos.

Livros da autoria de Jorge Rio Cardoso, também à venda no Brasil.
Método Ser Bom Aluno - Bora Lá? Link
O Professor do Futuro - Link

Autor Filipe de Freitas Leal


Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

0 comentários :

Enviar um comentário