10 ANOS

Desde julho de 2007 a debater ideias e a defender causas.

domingo, 15 de julho de 2012

Absurdos e Incongruências na Saúde

Muito do que nos chega ao ouvido assusta, e assusta tudo o que se trata da administração política do país, ou da dita governação, bem como da gestão do setor privado, cuja corrente de pensamento empresarial reflete sintomaticamente a mesma mentalidade governativa, que assusta por ser mediocre e ineficiente, e bem aos portugueses as notícias que teimosamente nos vêm chegando, a quebrar o animo, refiro-me a tudo o que chamo de "teimosia", de gente que dirige como quem dá murros em pontas de faca, que só atingem em prejuízo os que trabalham, os que cumprem, os que suportam calados todo este estado de coisas a que o país tem vindo gradativamente a tornar-se, um país falhado, uma país a prazo.
UB Sintra em Mem Martins
Há alguns dias atrás, após a corrente de ar quente do Siroco que atingiu o sul da Europa, e em que se sentiu mais de 41ºC  em Sintra, acabei por adoecer, a chuva voltou e apanhei uma  gripe forte que se agravou com a humidade, o que fez com que necessitasse recorrer ao Hospital de Amadora/Sintra, mas devido à greve dos médicos indicaram-me uma extensão do mesmo hospital em Mem Martins; trata-se do SUB Sintra (Serviço de Urgência Básica de Sintra do Hospital Fernando Fonseca - Amadora / Sintra), o atendimento foi excelente, rápido e o respectivo serviço serve bem as populações de Sintra, Algueirão, Mem Martins, Mercês e Rio de Mouro, desentupindo o já obsoleto hospital acima citado, que atende a mais de um milhão de habitantes dos dois conselhos.
Oque passou a ser meu espanto é que o serviço será desativado já no mês de Agosto, por ordem do governo, que justifica dizendo que é para poupar dinheiro; Ora quer isto dizer que apesar de se tratar de um serviço que já existe há três anos, que é eficiente e de grande utilidade pública para as populações vizinhas de Sintra, ainda assim colocam-se os burros à frente da carroça e fecha-se um serviço, mais ainda é de notar que não foi feita uma devida promoção e informação do respectivo serviço às populações locais, e que o fecho deste serviço prejudicará e muito os utentes e o próprio Hospital Amadora Sintra, que ao que se sabe, está a romper pelas costuras.
Uma população que vive pacientemente estes dias de desgovernação, faz-me pensar que em terra de cegos quem tem olho é Rei, ficaria melhor ao dizer-se que "em terra de gente sã, quem é louco é Rei".
Há uma solução, que é perdermos todos a cabeça, e chamar à razão aqueles que a não têm, para por cobro a uma injustiça, pois não é cortando, a torto e a direito nos serviços, impondo austeridade e aumentos de impostos à gente pobre e à raia miúda, gerando desemprego e fechando serviços e hospitais que se resolve os problemas financeiros do País, quando todos sabemos do escândalo da Fraude do BPN (que envolveu vários políticos e ex-ministros do PSD do tempo do governo de Cavaco Silva), e pior foi o Estado assumir as dividas de um político e de um ex-futebolista, após mesmo de ter vendido o respectivo banco aos angolanos do BIC, pela metade do preço oferecido pelo Banco Montepio Geral, tendo claramente perdido dinheiro com isso, e sendo que o Estado é o Povo, quem paga é  sempre quem cumpre, por isso é que deveríamos todos perder a cabeça nas próximas eleições e votar em partidos pequenos, a fim de bloquear o sistema e por a classe política a tremer de medo, e isso é possível! A Grécia provou isso mesmo nas eleições deste ano, bloqueando a formação de governos e levando a novas eleições, lá os políticos tremem, por cá ainda se riem, e de nós!

Autor Filipe de Freitas Leal




Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

0 comentários :

Enviar um comentário