terça-feira, 1 de janeiro de 2008

Pereira de Moura um Professor na Resistência

Gostaria de deixar escrito aqui, um artigo que iniciei na Wikipedia, sobre um tio meu, cuja memória me é muito querida, pois sempre senti muita afinidade e admiração por ele, quando eu era pequenino apenas o conhecia por Tio Chico, onde todos os anos ia passar à sua casa as noites de Natal com toda a família, lembro-me ainda que a casa do meu tio tinha as paredes repletas de livros, do teto ao chão, do hall de entrada, à sala, e até os corredores todos cheios de livros e mais livros.

De seu nome completo, Francisco José da Cruz Pereira de Moura, nasceu em Lisboa, a 17 de Abril de 1925 — e faleceu a 4 de Abril de 1998 ) foi um destacado economista e professor universitário português,[1][2] licenciado em finanças, em 1950, pelo Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras (atual ISEG) da Universidade Técnica de Lisboa e Doutor em Economia, em 1961, pela mesma Universidade, Pereira de Moura viria a ser professor catedrático no Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa, e mais tarde do Instituto Superior de Economia e Gestão, onde foi professor de grandes personalidades da vida económica e política de Portugal, como João Salgueiro, Francisco Louçã, entre outros.[1]

Opositor do regime salazarista, fundou juntamente com outros companheiros de luta antifascista a Comissão Democrática Eleitoral (CDE), que viria a dar origem ao Movimento Democrático Português (MDP/CDE).[1]

Participou na vigilia da Capela do Rato, onde viria a ser preso pela Direcção-Geral de Segurança, a polícia política do regime, e demitido do seu lugar de professor do Instituto Superior de Economia.[2]

Na sequência da Revolução de 25 de Abril de 1974, Francisco Pereira de Moura representou o Movimento Democrático Português (MDP/CDE) como ministro sem pasta no primeiro governo provisório de Adelino da Palma Carlos e no terceiro governo provisório, e foi ministro dos assuntos sociais no quinto governo provisório de Vasco Gonçalves,[1][2] retirando-se no entanto da vida política, com a normalização da situação política e económica em Portugal, regressando ao ensino superior, em Portugal e também no estrangeiro, nomeadamente em Moçambique, deixando vasta obra técnica na área da Economia, dentre os quais o seu famoso livro "Lições de Economia", lançado pela Editora Livraria Medina.


Referências

  1. a b c d Louçã, Francisco (Abril de 1999). Francisco Pereira de Moura: the founder of modern economics in Portugal - 1925-1998 (em inglês). American Journal of Economics and Sociology. Página visitada em 4 de Dezembro de 2010.
  2. a b c Biografia de Francisco Pereira de Moura. netsaber.com.br. Página visitada em 4 de Dezembro de 2010.


Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

Reacções:

4 comentários:

Graça Reis Santos disse...

Tive o enorme privilégio de ser aluna do Prof. Moura em 5 cadeiras no ISEG. É e será sempre a minha grande referência. O professor sempre disponível a qualquer hora, o professor que organizava visitas de estudo com os alunos, cuja família me acolhia em casa quando chegávamos tarde dessas visitas de estudo e eu já não tinha transporte para casa. Lembro com carinho o ritual do café feito pelo professor de uma forma quase solene num sistema de balões de vidro e lamparina, das prateleiras de alto abaixo carregadas de livros... foi dessas prateleiras que saiu o 1º livro de Obélix que li, onde é explicada a lei da procura e oferta de menires.
Mais tarde tornei-me professora e sempre tentei ser uma professora com uma atitude semelhante à deste incomparável SENHOR PROFESSOR

Filipe de Freitas Leal disse...

É com grande gosto, que leio a sua mensagem, é um grande orgulho tê-la escrito aqui, de modo sentido qual homenagem de agradecimento.

E deveras ao descrever bem o ambiente amistoso, simples e afável, misturando o café de balão (que adoro) e os livros que forravam paredes, faz-me voltar no tempo e reviver a sua presença.

Obrigado cara PROFESSORA Graça.

joan benavent disse...

Caro Felipe: este comentário se publica pelo login no Blogger de meu marido, Joan Benavent. O estimado Francisco era primo-irmão de minha mãe, e tive o imenso prazer de conhecê-lo em 1995, por ocasião da homenagem que lhe prestaram na UFRJ. Desde então, só voltei a manter contato com a família pouco antes de regressar ao Brasil, após ter vivido dois anos na Espanha. Alegra-me ler sua homenagem. Grande abraço.

Filipe de Freitas Leal disse...

Muito obrigado pela mensagem que enviou, fico lisonjeado por ter gostado do artigo que escrevi aqui em homenagem ao meu Tio. Um grande bem-haja

Enviar um comentário

Twitter Facebook blogger E-mail Print Friendly Favorites More

 
Projeto gráfico pela Free WordPress Themes | Tema desenvolvido por 'Lasantha' - 'Premium Blogger Themes' | GreenGeeks Review