10 ANOS

Desde julho de 2007 a debater ideias e a defender causas.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Voltaire

Figura incontornável da cultura, Voltaire, aliás nascido François Marie Arouet, foi um notável filósofo, ensaísta e escritor francês, nascido no seio de uma família burguesa, na cidade de Paris no ano de 1694, tendo vindo a falecer em idade já avançada, na mesma cidade em 1778.
Foi acérrimo defensor do Iluminismo e das liberdades, incluindo a liberdade de expressão, a liberdade religiosa e o livre comércio.
Voltaire era um pensador nato, com uma grande perspicácia sendo dos mais espirituosos homens do seu tempo, tendo deixado como legado à humanidade e à cultura, uma vasta obra, de romances, poesia, teatro, diversos ensaios e variadíssima correspondência, obras que no seu conjunto vieram a influenciar pensadores e lideres ligados à Revolução Francesa e à Independência das treze colónias que viriam a ser os Estados Unidos da América.
Voltaire não era muito favorável à Igreja Católica Romana nem ao antigo regime da monarquia absoluta, pelo que usou da sua obra literária de forma bastante sarcástica, para criticar no catolicismo e no regime absolutista, tudo o que pudesse impedir o desenvolvimento cientifico, económico e social da altura, e essa oposição devia-se ao facto de além de iluminista, Voltaire era partidário da "Reforma Social", tendo chegado a elaborar um conjunto de leis a ela relativas, no entanto foram consideradas, leis bastante rígidas no que se refere à punição do não cumprimento das mesmas, criticas aliás às quais Voltaire era incólume.
A sua maneira desprendida e despretensiosa de ser e pensar, levaram-no muito cedo ao cárcere na Bastilha, onde aliás escreveu um livro (Édipo) em 1718, e mais tarde chegou a ter de fugir de França e viveu como exilado político por três anos no Reino Unido onde conheceu o filósofo inglês John Locke, de quem se tornou amigo.
Voltaire já no fim da vida, adere à maçonaria e viria a ser iniciado numa loja maçónica de Paris no ano de sua morte em 1778.

Das suas obras as que mais se destacam são "Cândido", "Édipo", "Cartas Filosóficas", "Dicionário Filosófico" dentre outras, das várias obras, do seu vasto e profícuo labor das letras e do pensamento.
Por Filipe de Freitas Leal

contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

0 comentários :

Enviar um comentário